BANCO DE TEXTOS ACADÊMICOS LETRAS UFPel

Car@s colegas acadêmic@s das Letras da Universidade Federal de Pelotas,

Ao longo dos meus curtos (e ao mesmo tempo longos) semestres de formação em Letras português-francês e respectivas literaturas, deparei-me com situações peníveis de acesso às referências bibliográficas propostas pelos Planos de Ensino das quase 50 disciplinas obrigatórias.

Por este simples motivo, criei o BANCO DE TEXTOS ACADÊMICOS LETRAS UFPel. Refere-se a uma assemblagem digitalizada de textos que têm sido indicados pelas amplas disciplinas da grade curricular do curso de Letras da Universidade Federal de Pelotas - UFPel (RS, Brasil). Ressalvo que o "crtl + f" funciona eficazmente para procurar os seus autores e títulos.

Haja vista que sou militante da sustentabilidade, todos os textos aos quais tive acesso estão devidamente digitalizados e compatilho com todo o público à medida que eu for hospedando no meu espaço Onedrive.

Aceitam-se colaborações dos (ex-)discentes e (ex-)docentes da instituição por meio do , mencionando o título do texto, a disciplina à qual está relacionada e referência. Esta iniciativa não há nenhum interesse financeiro nem infrator da juridisção regente dos direitos autorais. Visa-se, apenas, dar acesso por meio digital de textos cuja leitura só poderia ser possível por meio de fotocópias com fins lucrativos realizadas por empresas denominadas “xerox” ou pelo restrito acervo da Biblioteca da UFPel.

Tenham ótima continuação nos seus percursos acadêmico, pessoal e profissional e espero que esta simples colaboração seja útil às consultas e aos estudos.

Gilson Lopes
2017'03'01

Link do BANCO DE TEXTOS ACADÊMICOS LETRAS UFPEL:
https://onedrive.live.com/redir?resid=534244E65157D60B!9494&authkey=!ACYAxPb3KVm5DnE&ithint=file%2cdocx

BANCO DE TEXTOS ACADÊMICOS LETRAS UFPel


LES MÉTAPLASMES ET LA THÉORIE DE LA SYLLABE

LES MÉTAPLASMES ET LA THÉORIE DE LA SYLLABE

Metaplasmos e a Teoria da Sílaba 




Na sexta-feira dia 24 de fevereiro de 2017, Gilson Ramos Lopes Neto, então mestrando em Estudos da Linguaguem pelo Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), ministrou, em língua francesa, o curso Les Métaplasmes et la Théorie de la Syllabe nas instalações da Université Populaire du Canton de Genève - Suíça, sob a coordenação de Hélène Baud, responsável de formação da ONG em questão.


Durante duas horas, 27 professores voluntários de língua adicional para adultos da instituição (2 de inglês, 1 de esperanto, 20 de francês, 3 de italiano e 1 de português brasileiro) fizeram-se presentes para aperfeiçoar seus conhecimentos sobre os universais silábicos observados sob o viés do fascinante ramo da Linguística Histórica Românica. O seminário visou cumprir o programa de formação continuada da UPCGe para 2017.


A presente sessão de formação teve por objetivo oportunizar uma reflexão sobre a importância da consciência fonológica dos alunos no processo de aprendizagem de uma língua não nativa. Atividades a níveis segmental, silábico e lexical favorecem que sejam explicitadas as consonâncias e as dissonâncias entre o repertório fonológico dos estudantes e o idioma alvo estudado. Foi apresentada a Teoria da Sílaba sob a perspectiva da Fonologia Métrica, cujos constituintes silábicos (ataque e rima) se distribuem de forma hierarquizada, sendo sensíveis à Escala de Sonoridade.  O formador chamou atenção às diversas teorias sobre a sílaba que, em vez de caminharem para uma unissonidade, ressaltam a existência de particularidades de cada língua, inibindo a existência categórica universal de uma única estrutura silábica para as milhares línguas do planeta. As discussões, as dinâmicas e as atividades contaram com exemplos de ordem diacrônica a partir do latim no intuito de evidenciar que a evolução das línguas ocorre não apenas na sua história ou no seu presente, mas pancronicamente, ou seja, sensível tanto para o presente quanto para o passado dos idiomas. Assim, ressaltou-se a importância de o corpo docente ficar atento aos fenômenos interlinguísticos que ocorrem permanentemente em sala de aula tem ocorrido no processo evolutido das línguas.


Foram abordadas, de forma elementar, questões sobre Fonologia, Fonética, escrita, sílaba e Metaplasmos que se apresentam relevantes para o aperfeiçoamento docente para a sala de aula.


As 23 avaliações entregues ao ministrante por parte dos participantes foram bastante satisfatórias, evidenciando o interesse efetivo que este tema seja retrabalhando brevemente com uma carga horária mais importante.


Seguem os mais sinceros agradecimentos aos participantes do evento e especialmente a Hélène Baud pela atenção, motivação e profissionalismo de sempre.


Gilson Lopes

2017'03'01